0800 941 0110

SÃO PAULO/MINAS GERAIS

0800 282 2443

RIO DE JANEIRO/ESPÍRITO SANTO

0800 941 0110

CENTRO OESTE

0800 703 3353

NORTE/NORDESTE

BLOG

MENU BLOG

17/09/2021

#ItograssEmCampo: Nutrição Mineral de Gramados de Futebol

Autor: Rodrigo Santos - Coordenador do Centro de Gramados Esportivos Itograss

O planejamento nutricional de um gramado visa oferecer todos os elementos essenciais para o perfeito desenvolvimento vegetal, respeitando as características físicas dos seus solos, se adequando às rotinas de um gramado de futebol e considerando o seu uso quase sempre muito intenso. 

Não podemos falar sobre o tema nutrição mineral de gramados de futebol sem antes considerarmos as questões relacionadas ao solo onde eles normalmente estão implantados. 

Os projetos mais modernos de construção de um gramado de futebol priorizam o uso de uma camada composta quase que exclusivamente de areia média lavada. Essa camada, também chamada de Topsoil, normalmente tem uma profundidade de 30 cm e é usada com o objetivo de facilitar a drenagem e diminuir a compactação do solo provocada pelos jogadores e máquinas. 

Solos arenosos, por sua vez, têm uma capacidade de armazenagem de nutrientes muito baixa, fazendo com que os nutrientes se percam muito facilmente pela lixiviação implicando diretamente na elaboração do plano de fornecimento de nutrientes para o seu gramado. 

Em termos de nutrientes, as espécies vegetais utilizadas nos principais gramados de futebol - principalmente as Bermudas - necessitam de todos os macros e micronutrientes para o seu perfeito desenvolvimento na seguinte ordem: N > K > Ca > P > S > Mg > Fe > Zn > Cu > B. 

Para esta série, no entanto, trataremos apenas sobre um plano nutricional de manutenção. A implantação e o desenvolvimento podem ser tratados em uma próxima oportunidade. 

O Planejamento Nutricional 

Na elaboração de um cronograma de adubação de manutenção devemos considerar a espécie de grama, o tipo de solo, o nível de recursos para manutenção e, consequentemente, a demanda por nutrientes.  

 


 

A análise de solo, ferramenta básica dentro desse planejamento, oferecerá uma visão da situação nutricional do solo em que o seu gramado está estabelecido. Além disso, ela pode indicar o pH do solo e quantidade de calcário necessário para a sua correção. 

 

 

Já a análise foliar poderá indicar a quantidade de nutrientes que o seu gramado está absorvendo. Muito utilizada quando o gramado está apresentando alguma deficiência, essa análise apresentará qual é o nutriente responsável pelo dano.  

Calendário: o Brasil sempre foi reconhecido mundialmente como o país do futebol e mais recentemente vem se destacando também por ser o país onde os gramados recebem a maior quantidade de partidas de futebol ao longo da sua temporada. 


Esse excesso de jogos causa um desgaste muito acentuado nos gramados, e essa degradação prejudica o visual do espetáculo, por algumas vezes até mesmo interferindo na qualidade de jogo proporcionada pelo gramado. 

Um gramado usado de forma tão intensa necessariamente terá que ser estimulado em sua máxima capacidade. No planejamento nutricional é essencial entender essa demanda e atender essa necessidade. 
Espécies de grama: as gramas da família Bermudas são as mais indicadas - principalmente a Bermudas Celebration - por serem as que apresentam a maior capacidade de se recuperarem dos danos causados pelo jogo. Esses danos, à medida que os atletas estão cada dia mais bem preparados fisicamente, são cada vez maiores. 

A nutrição equilibrada é essencial para que a planta esteja apta a oferecer toda a sua capacidade de se recuperar dos danos. Uma deficiência mineral, ou uma oferta mineral desiquilibrada, podem comprometer essa capacidade de recuperação e o seu gramado sofrerá com o desgaste. 

Época do ano: importante destacar que as variedades mais utilizadas nos gramados de futebol, como as Bermudas, Zoysias e a nativa Batatais, são todas gramas de clima tropical e se desenvolvem plenamente na maior parte do ano, mas nos períodos de menor temperatura têm a sua capacidade de crescimento reduzida ou zerada. 

As espécies de grama de inverno, principalmente a Ryegrass, vêm sendo usadas cada vez com mais frequência no período em que as gramas de verão tem um déficit de crescimento. No capítulo 7 dessa série trataremos especificamente do assunto “espécies de gramas utilizadas em gramados de futebol”. 

Sabendo que o crescimento das espécies varia conforme a época do ano e que algumas espécies podem ser usadas em consórcio nos meses de inverno, é importante considerar essa situação dentro do seu plano nutricional.  

Não será uma decisão acertada, por exemplo, fornecer uma adubação para estimular o crescimento de uma grama de verão durante o inverno, onde condições incontroláveis como temperatura e comprimento do dia obrigam a grama a limitar os seus processos fisiológicos.  

Topsoil (Base): como já falamos por aqui, os solos com alto teor de areia tem uma capacidade muito baixa de armazenar nutrientes nas suas partículas. Um solo com teor de matéria orgânica de 5% pode ter uma capacidade 20 vezes maior de armazenar nutrientes e disponibilizar lentamente para as plantas quando comparados com os sistemas com areia pura. 

O uso de matéria orgânica é aceitável para gramados de futebol que não recebam os grandes jogos transmitidos pela TV. A imagem, hoje, é a principal fonte de renda para os clubes de futebol e uma partida ser interrompida por conta de um gramado que não drena não é mais aceitável para estes casos. 

Então se a base do seu solo for composta exclusivamente por areia, a solução passa pelo parcelamento no fornecimento de fertilizantes granulados e o consórcio pelo uso de adubações foliares. 

Budget: o orçamento que você tem disponível para elaborar o seu planejamento vai definir quais as tecnologias e produtos serão utilizados na sua estratégia de fornecer os nutrientes que o seu gramado precisa. 

Mais importante que a quantidade de produtos e a tecnologia de aplicação é o entendimento de quanto e quais nutrientes o seu gramado precisa para atender a demanda de uso que ele enfrentará. 

Já vimos excelentes trabalhos de manutenção de gramados com uso de técnicas simples, mas aplicadas de maneira correta e no momento certo.   

Formas de Aplicação 

A tecnologia de aplicação de insumos, como os adubos e corretivos, vem crescendo nos gramados de todo o Brasil. A tecnologia aplicada de forma correta eleva o padrão de qualidade dos gramados, garante o uso correto do produto e oferece mais segurança a todos os envolvidos. 

As aplicações sem processos definidos, insumos desconhecidos, profissionais destreinados e sem adoção de práticas adequadas não geram resultados e colocam em risco o seu gramado, a saúde de quem aplica e o meio ambiente. 

Calagem: com base nos resultados obtidos pela análise de solo, os gramados devem ter o pH da solução dos seus solos corrigidos ao menos uma vez ao ano através da aplicação de calcário. 

Adubos granulados: forma mais comum em toda a agricultura brasileira, o adubo granulado é de forma disparada a tecnologia mais conhecida e utilizada nos gramados esportivos.

 

 

Normalmente são as fontes de minerais que apresentam o menor custo de aquisição, são rapidamente encontrados, facilmente armazenados e podem ser aplicados com equipamentos simples. 

Há uma série de produtos granulados disponíveis, sejam eles de liberação lenta, rápida, com todos os elementos no mesmo grão, protegidos, encapsulados, etç.  

Adubos líquidos: o uso dos fertilizantes líquidos vem se popularizando cada dia mais em nossos gramados. Na maioria das vezes eles acabam sendo absorvidos pelas folhas, mas alguns são absorvidos apenas via solução do solo. Quando absorvidos pelas folhas, eles se tornam mais prontamente disponíveis para a planta, no entanto, a disponibilidade foliar é curta e necessita de reposição constante.  

 


 

A tecnologia de aplicação de adubos líquidos é a forma mais rápida e eficiente de se corrigir deficiências nos gramados e apresenta uma homogeneidade de aplicação muito grande, desde que aplicado com equipamentos calibrados. 
 
“Um bom plano nutricional deve considerar o uso das duas fontes de nutrientes: granuladas e líquidas. Não o detrimento de uma forma em relação a outra”. 
 
Irrigação: a irrigação é uma ferramenta de manejo muito útil na preparação de gramados esportivos. No caso da adubação ela é uma ferramenta fundamental no seu plano de nutrição. 

Adubos granulados necessitam de umidade adequada do solo para a sua aplicação, assim como o uso abundante da água logo após a aplicação para evitar que o sal presente neste tipo de adubo queime as folhas do gramado quando em contato com a umidade. 

A umidade do solo também é importante quando será feita uma adubação líquida. A translocação dos nutrientes dentro da planta será mais rápida se essas plantas estiverem com suas células turgidas. A única observação é estar atento ao prazo para se fazer a irrigação após a aplicação de adubos foliares. 
 
Conclusão 

A nutrição mineral é condição fundamental para a preparação de gramados de futebol. O seu gramado só será capaz de expressar todo o potencial se a nutrição dele for respeitada. 

Procure entender as circunstâncias que o seu gramado enfrentará e as necessidades vitais dele na hora de dimensionar o plano de fornecimento de corretivos e fertilizantes. 

Se preocupe muito mais com a prática adequada do que com o grau de tecnologia adotada. Gramados são exigentes em quantidades de nutrientes, mas muito humildes nas tecnologias de entrega destes nutrientes. 

Que essa coluna te ajude a tomar as suas decisões.