0800 941 0110

SÃO PAULO/MINAS GERAIS

0800 282 2443

RIO DE JANEIRO/ESPÍRITO SANTO

0800 941 0110

CENTRO OESTE

0800 703 3353

NORTE/NORDESTE

BLOG

MENU BLOG

15/07/2021

Um gramado mais bonito com um custo de manutenção menor

Criando um bom sistema radicular para o seu gramado

Autor: Maurício Zanon

Um bom exemplo da importância do preparo de solo no sucesso de um gramado, é compará-lo ao alicerce em uma construção. Algo que você não vê, mas garante a segurança de sua casa e quando não é bem realizado provoca muitas dores de cabeça.

Um gramado com um sistema radicular bem desenvolvido e saudável, sofrerá menos com doenças fúngicas e terá um maior aproveitamento da água (irrigação) e nutrientes (adubação), dois dos principais recursos necessários para sua manutenção. 

Enquanto a profundidade das raízes é controlada em parte pela genética, a profundidade do preparo do solo determina a profundidade final deste enraizamento (Extension Horticulture - Colorado State University).

E qual o resultado prático disso? 
Um gramado mais bonito com um custo de manutenção menor. 

       

Sabendo disso, então qual o melhor momento para criarmos as melhores condições para que meu gramado tenha um sistema radicular profundo e sadio?

A melhor oportunidade que temos para trabalhar ou criar um perfil de solo favorável ao desenvolvimento das raízes seria no preparo do solo, realizado antes do plantio dos tapetes de grama.

A resposta pode parecer muito simples e até óbvia para muitos.

Porém, nossa equipe de pós-vendas ,em diversas visitas técnicas, se depara com solos extremamente compactados. Ou seja, pouco ou nada foi feito em relação a descompactação física de sua camada superior. Vale lembrar que dependendo do tamanho da obra, esta compactação pode ocorrer normalmente na execução da terraplenagem ou nivelamento, quando são movimentadas as camadas superficiais e mais férteis de um solo. 

Como em todos os problemas que surgem em gramados, os problemas causados por um solo compactado dificilmente passam despercebidos. Encontraremos uma alta incidência de manchas provocadas por doenças fúngicas, stress hídrico ou pelas folhas sem coloração e pouco desenvolvidas.

Estes sintomas são contornados com fungicidas, uma maior irrigação ou adubações de cobertura, porém você combaterá o sintoma, o problema persiste, e muito provavelmente voltará a incomodar no próximo ano, ou seja, como trocar o balde debaixo da goteira quando este enche de água e continuar com o telhado furado.

Portanto, quando for plantar um gramado, siga as instruções de nosso site sobre o preparo de solo, procure descompactar o máximo possível ou ao menos uma camada de vinte centímetros de profundidade, e aproveitando que já fazendo esta operação, incorpore Calcário Dolomítico, algum adubo fosforado e se possível uma fonte de matéria orgânica estabilizada. Desta forma você criará às condições ideais para que seu gramado tenha um abundante e profundo sistema radicular.

Mas, se o meu gramado já está plantado há algum tempo, como posso resolver este problema?

O primeiro passo é ter certeza de que está enfrentando problemas com a compactação, para isto, procure a ajuda de um técnico. Com o diagnóstico positivo, deve ser realizada a descompactação ou aeração do gramado, somada a outros processos como a cobertura com areia na granulometria correta, um bom programa de nutrição, entre outros.  Hoje no mercado brasileiro existem equipamentos específicos e profissionais que realizam este serviço. 

Como visto, a resolução do problema não é fácil, portanto, para você que vai implantar um gramado, faça ou exija um bom preparo de solo e aproveite o seu gramado.

Foto 1 – Ilustrar o texto
Foto 2 – legenda – Tapete plantado sem seguir as recomendações técnicas.
Foto 3 – legenda – Tapete plantado seguindo as recomendações técnicas (maior volume e velocidade na emissão das raízes).