0800 941 0110

SÃO PAULO/MINAS GERAIS

0800 282 2443

RIO DE JANEIRO/ESPÍRITO SANTO

0800 941 0110

CENTRO OESTE

0800 703 3353

NORTE/NORDESTE

NOTÍCIAS

MENU NOTÍCIAS

16/10/2018

Tipos de gramas mais resistentes do mercado

QUAIS OS TIPOS DE GRAMA MAIS RESISTENTES DO MERCADO?

Autor: Engenheiro Agrônomo Itograss - Jorge Henrique Rabelo Felix

Nos dias atuais, nos deparamos sempre com este questionamento por parte de nossos clientes, pois a preocupação com o “custo benefício” e com o meio ambiente está cada vez maior e faz com que o consumidor procure por produtos que se destacam no mercado.

Iremos abordar 2 variedades de gramas (Esmeralda e Esmeralda Imperial) que se destacam por serem as mais resistentes ao stress hídrico e por sua vez as mais utilizadas nas obras públicas em todo país. 

Esmeralda de origem asiática, possui alta densidade de folhas, estreitas e pequenas, um verde bem intenso, que formam um gramado denso e exuberante.

Pode se desenvolver em uma ampla gama de solos, como de alcalinos a ácidos, incluindo areia e argila e com boa tolerância a seca Esmeralda Imperial (Produto Itograss) possui as mesmas características da esmeralda, porém com vários aspectos melhorados, entre eles; estolões mais vigorosos, excelente recuperação ao stress (hídrico, pisoteio...), suporta irrigação com água de baixa qualidade, maior tolerância a seca, entre outras.

Essas 2 variedades, por apresentarem essas características, são as escolhidas para compor obras públicas, que não disponibilizam tantos cuidados com a manutenção, mas precisam de um aspecto visual bem harmônico.

Todos sabem que para se ter um gramado bonito, precisamos de um bom programa de manutenção, estas obras precisam então de espécies que se adaptem ao que lhe é oferecida e ambas variedades citadas atendem esse “nicho de mercado” com grande tolerância a seca, hoje nosso principal desafio devido à falta de chuvas e racionamentos em algumas regiões.

 Falando em deficiência no sistema de irrigação, ou até mesmo inexistência, estas variedades conseguem sobreviver a longos períodos de estiagem, terão os aspectos visuais comprometidos, mas sobreviverão.

Por serem rizomatosas e estoloníferas conseguem sobreviver e apenas as partes aéreas (folhas) que compõem a camada vegetal superficial é que “seca e morre”, portanto, a Esmeralda e Imperial ficam em estado de dormência esperando a próxima temporada chuvosa para soltar novas folhas e estolões. 

Sobre a recuperação após este longo período de stress hídrico, verificamos que em algumas regiões encontramos gramados novamente estabilizados, em até 30 dias após o início das chuvas. Claro que a velocidade da recuperação depende do volume destas chuvas, mas quando citamos este tempo para a recuperação é para dar certeza de que seu gramado se recuperará.

Para finalizar, não poderia deixar de mencionar a atenção que devemos ter ao gramado na sua implantação, com os tratos culturais e a irrigação inicial, pois é a partir deste empenho que daremos vida a este ciclo que abordei acima no texto.