A importância da irrigação nos gramados na fase de implantação - Itograss
A importância da irrigação nos gramados na fase de implantação - Itograss
16711
single,single-post,postid-16711,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.6,wpb-js-composer js-comp-ver-4.4.3,vc_responsive

A importância da irrigação nos gramados na fase de implantação

A importância da irrigação nos gramados na fase de implantação

O Nordeste enfrenta uma das piores secas de todos os tempos. Em várias regiões, a diminuição das fontes de água potável é um problema que afeta várias cadeias produtivas, além de toda população que necessita da água diariamente.

Nesse cenário, é comum encontrarmos grandes dificuldades para manter uma irrigação excelente em nossos gramados, afim de mantê-los sempre verdes e livres de problemas. Pois, além da absorção de água pela planta aumentar em épocas muito quentes, a água ainda é facilmente evaporada pelo sol e calor. Por isso a demanda hídrica sempre aumenta bastante.

Na fase de implantação de gramados, deve-se ter ainda mais atenção a essas variáveis, pois as raízes ainda estão muito sensíveis e não penetraram no solo.

Uma irrigação deficiente em áreas recém implantadas é extremamente prejudicial ao “pegamento” da grama. Nesse período, o solo deve sempre permanecer úmido, sob risco de se perder grande parte dos tapetes.

Sem dúvidas, a medida mais importante e urgente a ser tomada é aumentar a quantidade de água: basicamente, devemos irrigar mais e melhor (seja aumentando a quantidade de regas por dia, seja aumentando o tempo de rega). Pois isso vai viabilizar o crescimento normal da grama e evitar morte de tapetes. Um projeto de irrigação feito por um profissional do segmento é a melhor medida para se obter a precisão desejada.

Observar o comportamento de nossa grama é fundamental. Acompanhar o desenvolvimento do gramado, a irrigação, as ervas invasoras e a ocorrência de doenças ou pragas deve ser uma prática habitual. Pois, só assim, teremos sempre um lindo tapete natural cheio de vida.

Eng. Agrônomo João Victor Campos Oliveira

 

Orçamento